Matérias



Distimia: quando o mau humor vira transtorno depressivo Depressão

Home > Matérias > Depressão > Distimia: quando o mau humor vira transtorno depressivo

Uma pessoa pessimista, que está sempre de mau humor e vive reclamando de qualquer coisa, principalmente de cansaço, pode não ter apenas um gênio difícil, mas também ser vítima da distimia, um tipo de depressão mais branda, que atinge entre 5 e 11 milhões de brasileiros.

A distimia é classificada como um distúrbio de humor de longa duração que apresenta como principais sintomas o humor depressivo pontuado por breves períodos de humor normal.

Por ter características parecidas com as da depressão, porém mais leves, a distimia pode passar despercebida. Geralmente, quem convive com o problema acredita que o humor depressivo faz parte de sua personalidade e dificilmente conversa sobre isso com outras pessoas ou pensa em buscar ajuda médica.   

 

Saiba como reconhecer a distimia

A distimia pode durar por longos períodos, que às vezes começam na infância. Geralmente, o humor de uma pessoa com distimia possui altos e baixos, entretanto, os ânimos mais baixos dominam e são persistentes.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, (DSM), da Associação Americana de Psiquiatria, a distimia pode ser reconhecida quando o humor depressivo permanece na maior parte do dia e em quase todos os dias, por pelo menos dois anos em adultos e um ano em crianças. Além disso, a pessoa deve apresentar, no mínimo, outros dois sintomas da seguinte lista:

 

  • Excesso ou falta de apetite

  • Insônia ou sonolência excessiva

  • Cansaço constante

  • Desmotivação

  • Baixa autoestima

  • Dificuldade de concentração ou para tomar decisões

  • Sentimentos de desesperança

Embora os sintomas da distimia sejam menos acentuados que os da depressão, a doença pode levar a sérios impactos na vida pessoal e profissional de quem convive com ela.

Em geral, quem é afetado pela distimia tem poucos amigos e dificuldades de relacionamento, além de falta de interesse em atividades prazerosas. No trabalho, o absenteísmo pode ser alto, ou então a pessoa pode focar todos os seus esforços em sua atividade profissional, mas, apesar de toda a dedicação, seu desempenho costuma ser mediano.

Causas da distimia

Ainda não se sabe exatamente a origem da distimia, porém acredita-se que, assim como ocorre com a depressão, o surgimento do distúrbio está relacionado a fatores genéticos, bioquímicos e ambientais (situações de vida difíceis, como a perda de um familiar, um divórcio, problemas financeiros, etc.).

Tratamento

Buscar ajuda médica é fundamental para recuperar a qualidade de vida e ainda prevenir o desenvolvimento do transtorno depressivo, que apresenta alta incidência em quem possui distimia.

A base de tratamento da doença envolve a associação de medicamentos antidepressivos com psicoterapia.

Voltar